10 Dicas na manutenção de carro para pegar a estrada

manutenção de carro

A revisão básica do seu veículo pode ser feita em casa, o motorista pode examinar os limpadores, nível de óleo, pneus e freios, por exemplo. Mas se você não quer ter realmente nenhum problema na viagem de carro, busque uma oficina de confiança.

Neste post, mostraremos dicas de manutenção de carro para garantir a segurança na sua viagem.

1. Na manutenção de carro antes de viajar, escolha a oficina com sabedoria

O primeiro passo para cuidar do seu carro é escolher especialistas em quem você possa confiar.

Confiança, transparência e qualidade são os três fatores que são importantes na hora de selecionar a empresa para realizar a manutenção de carro para pegar a estrada:

A comunicação com o mecânico também é importante além desses outros elementos. Ou seja, tenha o cuidado de incluir a manutenção mais recente do veículo, quaisquer ajustes feitos e qualquer comportamento estranho, como superaquecimento e ruídos estranhos.

Faça um investimento em manutenção de carro preventiva! Esse tipo de manutenção evita que o carro quebre e custa muito menos do que os reparos emergenciais.

2. Cheque os pneus

Uma calibração é indispensável, já que andar com pneus que não estão em conformidade com os regulamentos pode tornar a condução mais difícil, consumir mais combustível e reduzir a vida útil do pneu.

Antes de pegar a estrada, certifique-se de que a pressão recomendada pelo fabricante esteja ajustada adequadamente (normalmente encontrada no manual do carro ou em uma etiqueta montada na lateral da porta do motorista).

Verificar se os pneus não estão carecas ou quase carecas é outra questão crucial. É hora de substituir as ranhuras do piso se elas começarem a perder profundidade.

Aliás, um bom número de acidentes ocorrem por pneus carecas.

3. Alinhamento, balanceamento e suspensão

O alinhamento e o equilíbrio das rodas e eixos do veículo são colocados em risco pelo impacto causado por buracos, lombadas e até freios.

A segurança do motorista e passageiros é prejudicada por um veículo desalinhado. Portanto, é aconselhável realizar as operações a cada 10.000 quilômetros de corrida.

No entanto, alterar os ângulos das rodas pode acontecer mais cedo ou mais tarde, dependendo de como você dirige o carro.

Rangidos, batidas secas ou ruídos que parecem que algo está solto devem ser examinados em relação à suspensão.

O estado das estradas usadas para viagens diárias de carro pode fazer com que as peças da suspensão se desgastam mais cedo do que o esperado. Portanto, fique atento a ruídos estranhos.

4. Fluidos

O motor do carro trabalha mais do que o normal ao viajar em estradas.

É crucial verificar o nível do fluido, a eficácia dos fluidos e seus filtros correspondentes, a presença de vazamentos e o nível do fluido. o nível de gasolina no reservatório de partida a frio, líquido de arrefecimento, fluido de freio, óleo do motor e da caixa de câmbio, fluido da direção hidráulica e fluido da embreagem.

Tudo isso pode ser examinado em um workshop ou em um posto respeitável.

5. Freios

As pastilhas e o próprio fluido de freio são duas das peças-chave que exigem inspeção de rotina.

Este material é responsável por conectar o acionamento do pedal ao sistema de frenagem total do carro.

Torna-se poluído como resultado da absorção de umidade ao longo do tempo. A cada 10.000 milhas ou uma vez por ano, uma oficina mecânica é onde a revisão deve ser realizada.

O ruído que se produz quando o pedal é pressionado é o sintoma mais típico de que as pastilhas precisam ser substituídas, pois elas se desgastam com o tempo.

6. Regulagem dos faróis

As vibrações causadas pelo movimento do carro fazem com que os faróis fiquem fora de controle ao longo do tempo.

De acordo com o Art. 233 do Código de Trânsito Brasileiro, dirigir com os faróis acessos dessa forma obstrui a visão e a visão de outros motoristas e pode resultar em infração significativa.

Portanto, é aconselhável que a calibração seja feita a cada seis meses.

Antes de sair para pegar a estrada, certifique-se de que todas as luzes do carro estão funcionando.

Além disso, é interessante saber para que serve todas as luzes do carro.

O motorista terá várias luzes, incluindo luzes de posição, luzes laterais e luzes de neblina, dependendo da marca e do tipo do carro.

7. Registre as revisões que realizar no seu carro

Mais uma dica que vai ajudar muito na manutenção de carro é criar um histórico de revisões, por isso tente documentar qualquer manutenção de carro.

É importante notar que um veículo com histórico de revisões é mais valorizado no mercado de veículos usados.

8. O que não pode falta no porta-malas

Um dos itens essenciais que devem estar em um carro é o triângulo, que serve como sinal de trânsito para o veículo, bem como é importante ter um macaco e uma chave de roda.

Os parafusos do pneu podem ser apertados ou afrouxados com a chave de roda. Ao trocar um pneu, o macaco é responsável por elevar o veículo.

Caso algo aconteça com o carro, o triângulo é uma espécie de sinal que deve ser colocado na estrada, já que avisa aos motoristas que seu carro está com problema.

Ao realizar a manutenção de carro para viagem, garanta todos esses itens, bem como não esqueça de ter no seu carro itens como:

    • Par de luvas
    • Pano de limpeza
    • Chave de roda telescópica

9. Ar-condicionado

Como a maioria dos dias no Brasil é extremamente quente, ter um ar-condicionado em seu automóvel não é mais um luxo, mas sim uma necessidade. Mas poucas pessoas sabem deixar esse recurso em dia.

A melhor prática para este sistema é ligar o ar-condicionado apenas quando a temperatura estiver confortável, 5 minutos antes da chegada ao seu destino, desligue-o e mantenha apenas o ventilador na posição máxima para que o sistema de ar seque e evite o crescimento de fungos e bactérias causadores do mau odor.

Por fim, não abra mão de procurar um especialista em conserto de ar-condicionado automotivo para que o ar-condicionado do carro esteja em ordem.

10. Sistema de limpeza dos vidros

Verifique o nível do reservatório de limpeza e o estado das palhetas, além da funcionalidade dos limpadores e desembaçadores. Eles não drenarão adequadamente a água se estiverem secos.

Limpe bem as janelas no dia anterior à sua viagem, pois a sujeira reflete a luz e dificulta a visão.

Além disso, trazer um pano de algodão e spray antiembaçante é uma boa ideia para veículos sem ar condicionado.

Gostou dessas dicas? acompanhe o nosso conteúdo sobre veículos e transporte de veículos em nosso blog.

O que é preciso saber antes de comprar um carro de leilão

carro de leilão

Nem sempre é necessário gastar muito dinheiro ou fazer pagamentos parcelados de anos para comprar um automóvel. Isso sem falar nos juros excessivos, que podem quase triplicar o preço final.

Para as pessoas que querem comprar um carro por um pouco menos de dinheiro, os leilões são uma possibilidade.

Um carro usado custa menos e perde menos valor ao longo do tempo do que um novo.

Ao mesmo tempo, um carro novo pode nem sempre valer a pena devido à rápida depreciação que sofre.

Para tornar o processo de comprar um carro de leilão mais simples, montamos este guia que tratará sobre o que é preciso saber antes de comprar um carro de leilão. Daremos dicas como os tipos de leilões de carro até o que fazer no pós-leilão.

Tudo pronto para começar?

Então, vamos lá!

1. Tipos de leilões de carro

Vamos definir um carro de leilão em termos simples, para isso você deve entender os tipos diferentes de leilões:

    • Leilão de montadoras: veículos de exibição de uma concessionária que não foram vendidos;
    • Leilão de recuperação financeira: automóveis cujos donos foram detidos e apreendidos por falta de pagamento das prestações;
    • Leilão judicial: veículos confiscados durante investigações criminais, civis ou trabalhistas.
    • Leilão de seguradora: as companhias de seguros normalmente leiloam veículos que foram recuperados de roubo e acidentes. Como resultado, há uma maior probabilidade de encontrar veículos danificados neste tipo de leilão.

O último tipo de leilão é o que mais exige cuidado, pois normalmente é composto por veículos que se envolveram em acidentes ou foram recuperados após serem roubados e indenizados por seus proprietários anteriores.

2. Carros sinistrados

Evite ao máximo comprar carros de seguradoras, já que é extremamente provável que você acabe negociando em um automóvel que já sofreu uma avaria significativa, o que aumenta significativamente a probabilidade de outros problemas no futuro.

Verifique também a origem do carro e escolha aqueles de empresas financeiras ou empresas de renovação de frota.

3. Vá acompanhado de um mecânico de sua confiança

Independente de você ter muito conhecimento sobre carros, é fundamental que um mecânico de sua confiança avalie o veículo.

Aliás, quando um test drive antes da compra não é possível, um profissional experiente pode antecipar problemas presentes ou futuros.

4. Não faça nada antes de checar a documentação

Nem todas as informações sobre a situação dos documentos ou multas estão sempre disponíveis nos leilões.

Verifique também o licenciamento e o IPVA para ver se houve alguma infração até a data da compra.

Enfim, faça sua própria verificação sobre a documentação, mesmo que alguém lhe assegure que tudo está atualizado.

5. Não é preciso gastar com despachante

Hoje todo mundo pode regularizar as pendências de um veículo basta acessar a internet usando seu smartphone durante o leilão para verificar a situação do veículo usando a placa e o RENAVAM.

Você pode verificar se há algum problema em aberto com o Departamento de Trânsito, ou DETRAN, em cada estado.

Existem também sites que podem ajudá-lo a realizar esta pesquisa com mais detalhes, embora alguns deles exigem pagamento:

6. Pesquise seguradoras que façam seguro de carros comprados em leilão

Antes de finalizar um negócio, fale com um corretor de seguros e seja honesto com ele.

Digamos que você esteja pensando em comprar um carro em um leilão. Isso é crucial porque nem todas as seguradoras assumem esse tipo de risco.

O especialista será capaz de localizar cotações de seguro de carro de leilão com a ajuda desta informação.

O problema é que o carro veio de um leilão ao invés de ser usado. As empresas que vendem seguros de automóveis recuperados, no entanto, impõem algumas restrições. Por exemplo, eles pedem uma fiscalização e limitam a indenização em uma parte da Tabela FIPE.

Você também pode ter certeza de obter um ótimo negócio se garantir que não haja dúvidas e tomar todas as precauções necessárias.

7. Bom planejamento

Já descobriu quanto quer gastar?

Por isso, determine qual lance máximo, levando em conta as taxas de negociação, bem como os custos que ainda estão associados ao veículo, como IPVA, multas e demais pendências, fica no limite do seu orçamento.

Faça então um plano de lances!

Além disso, para definir um limite para sua oferta, liste as dívidas e o valor máximo que você está disposto a pagar.

8. Taxas administrativas

Os carros leiloados também possuem taxas administrativas, além de eventuais multas não pagas ou IPVA em atraso, que frequentemente são de responsabilidade do comprador.

Existe também a “Taxa do Pátio”, que varia de leilão para leilão e varia entre R$ 500 e R$ 1.500, além da comissão do leiloeiro de 5% do valor arrematado.

Lembre-se que a casa de leilões só aceita dinheiro como forma de pagamento. O arrematador tem 48 horas para pagar pelo veículo ou corre o risco de multa de no máximo 20% do valor da oferta vencedora.

9. Quando vale a pena um carro de leilão?

Uma fórmula fixa para determinar quanto vale um lance em um carro de leilão não existe, porque tudo depende da condição do veículo e de quaisquer dívidas pendentes.

O conselho é fazer uma pesquisa de mercado sobre os preços típicos desse modelo, ano e versão.

Se o carro for adquirido para uso pessoal, é aconselhável oferecer um preço 20% superior ao preço praticado no mercado.

Ou seja, se o carro custar R$ 50.000 entre os novos modelos, valeria a pena gastar até R$ 40.000 (compras, taxas administrativas e custos). O “desconto” ideal para empresários (agências e revendedores) é de 35%.

10. Lance condicional

Há também frequentemente algumas regras específicas para leilões.

Uma delas é o lance condicional, normalmente utilizado para itens de leilão extrajudicial ou judicial.

Ocorre quando o valor mínimo do lance para aquele bem não é atingido durante o leilão.

A Justiça pode então conceder, negar ou apresentar uma contraproposta após o pregoeiro lhe informar o lance mais alto. Uma nova sessão de negociação deve ser realizada se for rejeitada.

11. Pós-leilão 

Reserve dinheiro também para manutenção e reparos em veículos.

Mesmo que o carro pareça estar em bom estado e acredita-se que tenha pertencido a uma empresa ou mesmo frota judicial, não há como saber ao certo como ele era mantido antes do leilão.

Mais uma questão importante que você deve saber é que os carros de leilão não contam com garantia.

Então é importante ter atenção nos de que mesmo para modelos sem histórico de acidentes, os carros vendidos em leilão costumam desvalorizar mais do que a média do mercado.

E aqueles com esse histórico normalmente são segurados com menos de 90% do valor de referência do risco quando aceito pelas seguradoras.

Por fim, entre em contato conosco hoje para obter mais informações ou conferir nossa página de orçamento.